terça-feira, 26 de abril de 2016

Edir Macedo ganha “Oscar Gay” por ser amigo da causa LGBT

O Grupo Gay da Bahia (GGB) realiza todos os anos uma “premiação” para divulgar personalidades que foram amigas ou inimigas da causa LGBT.
O prêmio é chamado de “Oscar Gay” e na edição desse ano o grupo escolheu o bispo Edir Macedo como um dos amigos homossexuais, isso por conta das declarações do fundador da Igreja Universal do Reino de Deus.
Para quem não se lembra, em 2015 Edir Macedo afirmou que “Jesus incriminou os religiosos hipócritas, não os gays”. Macedo ainda disse que a Igreja Universal aceita e sempre irá aceitar os homossexuais.
“A IURD sempre aceitou e aceita todos os homossexuais como acolhe todo ser humano do jeito que é”,disse Macedo na ocasião.
No Oscar Gay 2015 o GGB apontou mais amigos que inimigos, foram 37 amigos da causa citados, incluindo o procurador-geral da República Rodrigo Janot que deu “ao Congresso Nacional prazo razoável para concluir a votação do projeto de criminalização da homo/transfobia”.
Entre os inimigos apontados pelo Grupo está a atriz Bibi Ferreira por repudiar o beijo lésbico das atrizes Fernanda Montenegro e Nathalia Timberg na novela Babilônia e os funcionários do Shopping Barra, em Salvador, que não deixaram um travesti usar o banheiro feminino do estabelecimento.

sábado, 23 de abril de 2016

A ordenação de mulheres é ou não aceita por Deus?


A ordenação de mulheres é ou não aceita por Deus?
Uma questão que realmente divide opiniões entre as denominações é a ordenação pastoral de mulheres para o ministério. Seria isso uma prática aprovado por Deus? Quais argumentos nós podemos apresentar para defender ou abominar essa prática? Neste estudo falaremos sobre este importante assunto.
ORDENAÇÃO FEMININA UMA PRÁTICA APROVADA POR DEUS

Partindo da posição que acredita ser a ordenação feminina uma prática aprovada por Deus damos quatro argumentos:
1) Em Efésios 4.11 nos é dito que pastor é um dom ministerial dado unicamente por Deus. Seminários teológicos não formam pastores, apenas contribuem para o crescimento intelectual destes. A igreja pode nomear pastores, mas não pode dá-lhes a vocação para exercer esse ministério.
Apenas Deus pode conceder ao individuo essa sagrada vocação. Já que apenas Deus pode chamar pessoas para o pastorado o fato de vermos mulheres comprovadamente capacitadas para o pastoreio não 




seria uma clara evidência de que Deus aprova tal prática? Cremos que sim.
2) O fato de o apóstolo Paulo ter feito claras proibições da ordenação feminina em apenas duas das suas treze cartas (I Timóteo 2.12/ I Coríntios 14.34,35), leva-nos a compreensão de que essa proibição se aplica apenas às duas igrejas receptoras das suas cartas.
Isso pelo fato de que tanto em Éfeso como em Corinto as mulheres pagãs exerciam a maior autoridade na adoração a falsa deusa Ártemis. Paulo restringiu apenas as mulheres de Éfeso quanto à questão do ensino, mas em Apocalipse vemos uma mulher exercendo o ensino (veja Ap. 2.18-20).
A cidade de Éfeso era conhecida por seu templo a Ártemis, a falsa deusa greco-romana. As mulheres eram autoridade na adoração a Ártemis, permitir que elas liderassem na igreja seria uma forma de promover certo escândalo ao cristianismo que nascia debaixo de perseguidora opressão.
Paulo tomou todo cuidado com os possíveis escândalos que poderiam ser causados na igreja, por isso tanto ordenou o uso do véu por parte dessas mulheres quanto proibiu que elas exercessem autoridade. Paulo mesmo disse que os cristãos deveriam se portar de modo que não causassem escândalos nem aos judeus (eles eram totalmente contrários à liderança feminina) e nem aos gregos (estes achavam que se uma mulher exercesse liderança na igreja não havia muita diferença entre cristianismo para paganismo).
Confira I Coríntios 10.32,33: “Não se tornem motivo de tropeço, nem para judeus, nem para gregos, nem para a igreja de Deus. Também eu procuro agradar a todos de todas as formas. Porque não estou procurando o meu próprio bem, mas o bem de muitos, para que sejam salvos”.
3) Na igreja de Tiatira havia liderança feminina, a repreensão de Jesus Cristo não foi ao fato de haver liderança feminina na igreja, mas ao fato de ela está usando a autoridade de líder para ensinar o povo à prostituição e ao consumo de comidas sacrificadas aos ídolos (Apocalipse 2.18-20). Se a liderança feminina fosse reprovada por Deus Jesus Cristo haveria usado aquele momento para repreender a igreja por tê-la posto numa posição de liderança, Ele não o fez.
4) Em Romanos 16.1-7 Paulo faz profundos agradecimentos a pessoas que foram seus auxiliares no exercício de propagar o evangelho e apoiar as igrejas plantadas. Dentre as pessoas que ele agradeceu aparece varias mulheres. Neste texto Paulo elogia o trabalho delas e as põe em pé de igualdade com os homens ali descritos.
Concluímos, portanto acreditando que as bases bíblicas apresentada são suficientes para nos conceder respaldo para o pastoreio feminino, ademais, em sua promessa Deus disse que derramaria seu Espirito sobre homens e mulheres na mesma proporção (Joel 2.28,29) e ao ressuscitar Jesus apareceu primeiro a uma mulher (João 20.13-18). Que Deus levante homens e mulheres para que a salvação do Senhor alcance todas as fronteiras da terra.

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Judeus voltam a fazer sacrifícios de animais após 2000 anos


Judeus voltam a fazer sacrifícios de animais após 2000 anosO Templo judeu foi totalmente destruído pelo exército romano no ano 70. Desde então, os judeus cessaram os sacrifícios de animais. Embora a tradição continue entre os samaritanos, o sangue é derramado no monte Gerizim e não segue estritamente a tradição bíblica.

Em 2016, pela primeira vez em quase dois milênios, cordeiros de um ano foram sacrificados ao ar livre por homens que reúnem as condições de serem os novos levitas e sacerdotes.
Ainda que o Terceiro Templo não esteja de pé, os membros do Instituto do Templo conseguiram reunir cerca de 400 convidados para uma “cerimônia modelo”, no alto do Monte das Oliveiras. Entre os convidados estavam líderes políticos e religiosos, que expressaram sua esperança que as mesquitas em breve sejam removidas do alto do Monte do Templo.
O político Arieh King afirmou esperar que Jerusalém logo esteja livre do que ele chamou de “abominação”. Ao mesmo tempo, o rabino Yisrael Ariel, um dos líderes do Instituto do Templo explica que o evento foi uma “preparação” para quando o monte Moriá for “limpo e consagrado” e o templo, reconstruído.
A cerimônia realizada na segunda (18) seguiu vários rituais antigos prescritos pela lei da Torá e judeus, incluindo o abate de um cordeiro pelos sacerdotes Cohanim (descendentes de Arão), a aspersão do sangue, a queima de gorduras e outras partes do cordeiro em um altar. Tudo ao som de trombetas de prata sopradas pelos levitas. O local do abate cerimonial foi a yeshiva Beit Orot, de onde se pode ver todo o Monte do Templo.
Segundo o calendário judaico, que é lunar e segue os tempos estabelecidos por Deus no Antigo Testamento, a Páscoa (Festa de Pêssach) começa ao pôr do sol desta sexta, 22 de abril e vai até o anoitecer de sábado, dia 30.
O rabino Ariel, que leu passagens do Talmude relativos ao Monte do Templo explicou que trata-se de mais um ensaio para que, quando as cerimônias forem retomadas no novo Templo, esteja tudo pronto.
Os organizadores do evento dizem que desejavam oferecer uma autêntica experiência judaica “com os cheiros, sons e cores que foram perdidos para nós nestes 2000 anos”. O objetivo final era “despertar no povo um desejo de renovar este ritual do Templo em nossos dias”.
Sacerdotes do Instituto do Templo
Sacerdotes do Instituto do Templo.
O rabino Shmuel Eliyahu, importante líder judeu, salientou que “todos os judeus praticantes, vem rezando por isso três vezes ao dia durante os últimos 2.000 anos”. Ele estava feliz por ver as orações cantadas com acompanhamento musical após o abate do animal, enquanto os Cohanim usavam as peças cerimoniais que já estão prontas para serem utilizadas em breve no Templo.

Renovando a esperança

Esta é a segunda demonstração de como funcionam os sacrifícios feita este ano. No início de março, três membros do Sinédrio abriram as comemorações da chegada de mês bíblico de Adar, acompanhado de uma reconstituição do serviço do Templo.
Essa verdadeira aula de Antigo Testamento visa mais que lembrar um costume. Mostra o quanto ospreparativos para o novo Templo são reais. Ao exibir tudo em público, ele também ajuda a acostumar os moradores de Jerusalém com a ideia de já existir uma nova classe sacerdotal.
Nos últimos anos, outros grupos judeus ortodoxos realizaram sacrifícios em frente ao Monte do Templo, em Jerusalém, tentando seguir o ritual descrito nos Livros de Moisés, mas não tão detalhadamente quanto o Instituto do Templo. Eles chamam isso de “ensaio profético”.
Para evitar conflitos com os muçulmanos, o governo de Israel não tem estimulado a prática e já prendeu ativistas que tentavam fazê-loCom informações de Israel National News e Jerusalém Post

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Daniel Mastral nega que tenha dito que Michel Temer é satanista

Daniel Mastral nega que tenha dito que Michel Temer é satanistaMastral nega que tenha dito que Temer é satanista
Após a aprovação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff pela Câmara dos Deputados neste domingo (17), aumenta a expectativa sobre como será um possível governo de Michel Temer.
Contudo, alguns segmentos evangélicos não gostam dessa possibilidade, mencionando um antigo rumor de que ele seja satanista. Anos atrás, ficou bem conhecido no Brasil o testemunho de Daniel Mastral, um ex-satanista convertido.
Em seus livros, da série “Filho do Fogo”, ele falava sobre seu pai ser uma importante figura política que tinha pacto sério com as trevas. Embora nunca tenha dado especificamente um nome, surgiram especulações que as características seriam condizentes com o então deputado Michel Temer e que desde 2011 é vice-presidente.
O pastor Silas Malafaia publicou neste sábado (16), um vídeo onde procura esclarecer a questão. Ele sente que falta “discernimento espiritual” para as pessoas e nega enfaticamente que haja ligação de Temer com grupos satanistas. O pastor desqualifica o autor do boato, questionando sua sanidade e dizendo que a história “não tem pé nem cabeça”.
Embora não seja citado nominalmente, o escritor e conferencista Daniel Mastral publicou um vídeo rebatendo as acusações. Insinuando que Silas Malafaia não mostra coerência em seus ensinamentos, também faz ironias, dizendo que vai dar lições bíblicas “grátis” ao pastor.
Citando vários versículos, Mastral afirma que não aceita ser acusado por Malafaia, nem por líderes “sem caráter”, que chamou de “líderes cegos”. Lembra que escreveu 14 livros, mas acredita que Silas “não leu nenhum”. Também faz um desafio, citando além de seus escritos também seus DVDs e vídeos no Youtube: “encontre uma linha sobre aquilo que o senhor colocou”.
“Nunca afirmei que sou filho desse ou daquele político”, insiste. Lembra que ele conta nos livros sobre Marlon, um sacerdote satanista que tinha “vínculos com a política”. Este, segundo narra em Filho do Fogo, seria seu pai. Negou que tenha dados nomes e classificou de “boatos” e de “balela”, o que é atribuído a ele. “Não se paute em boatos”, pede Mastral no vídeo. Finaliza dizendo que perdoa Malafaia. Em momento algum, nos mais de 8 minutos de vídeo, o autor cita o nome de Michel Temer.
Um dos fatos que colaborou com o boato é associação que, após milhares de buscas sobre o tema, o Google começou a fazer dos termos, que apareciam como sugestão.
Michel Temer é satanista
Curiosamente, em seu livro “Catedral das Sombras”, na página 117, Daniel Mastral narra que “Marlon” acabou se convertendo a Jesus. Até onde se sabe, Temer não fala abertamente sobre sua fé.
Existe um vídeo antigo em que o então deputado federal por São Paulo afirma ser católico e declara: “o que eu mais frequentei no estado de São Paulo foram as igrejas evangélicas”. Ele tem vários funcionários evangélicos e diz ter muitos amigos pastores.
Na semana passada, alguns membros da bancada evangélica procuraram Temer para fazer orações por ele. O deputado Marco Feliciano também esteve orando com Michel Temer esta semana.
O deputado João Campos (PRB/GO), presidente da Frente Parlamentar Evangélica relatou: “Fizemos uma oração por ele (Temer), para que, na hipótese de assumir a Presidência, Deus o capacite e dê discernimento para tomar as decisões mais adequadas para o País”.

Silas Malafaia nega que Michel Temer seja satanista

Silas Malafaia nega que Michel Temer seja satanistaSilas Malafaia nega que Temer seja satanista
Diante de tantas especulações sobre o futuro do país, existe uma chance real que o vice-presidente Michel Temer ocupe o Palácio do Planalto com a saída de Dilma. Contudo, para muitos evangélicos essa possibilidade não é vista com bons olhos.
Afinal de contas, existe um antigo rumor dando conta que ele seja satanista. Anos atrás, um testemunho no livro “Filho do Fogo”, de Daniel Mastral, um ex-satanista convertido. Em seu livro, ele falava sobre seu pai ser uma importante figura política que tinha pacto com as trevas. Embora não desse especificamente um nome, as características seriam condizentes com o então deputado Michel Temer.
Apesar de já ter sido negado pelo atual vice-presidente, a história continua sendo debatida na internet. O pastor Silas Malafaia publicou neste sábado (16), véspera da votação do impeachment, um vídeo onde procura esclarecer a questão. Ele sente que falta “discernimento espiritual” para as pessoas e nega enfaticamente que haja ligação de Temer com grupos satanistas.
O pastor desqualifica o autor do boato, dizendo que a história “não tem pé nem cabeça”. Termina pedindo que o povo evangélico continue orando e pedindo a Deus pela nação.
Malafaia não é o único a acreditar que seja infundado esse temor. Alguns membros da bancada evangélica procuraram Temer para fazer orações por ele. O deputado Marco Feliciano também esteve orando com Michel Temer esta semana.  O deputado João Campos (PRB/GO), presidente da Frente Parlamentar Evangélica relatou: “Fizemos uma oração por ele (Temer), para que, na hipótese de assumir a Presidência, Deus o capacite e dê discernimento para tomar as decisões mais adequadas para o País”.