sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Hoje é Dia da Reforma Protestante!

Hoje é Dia da Reforma Protestante!Hoje é Dia da Reforma Protestante!
Dia 31 de outubro de 1517 foi a data escolhida por Martinho Lutero para divulgar suas 95 teses contra o papa e a Igreja Católica. Era o início da Reforma Protestante, que gerou o movimento evangélico. Já leu as teses? Leia aqui.
Pregadas na porta da Catedral da cidade Wittenberg, Alemanha, os argumentos do ex-monge Lutero não pediam que a Igreja se dividisse, mas que passasse por uma reforma teológica, abandonando práticas que contrariavam as Escrituras Sagradas. Rejeitadas pelo Vaticano, foram o início do que seria mais tarde a Igreja Luterana.
Entre as propostas de Lutero estava a de traduzir a Bíblia para que todos pudessem conhecer a Palavra de Deus. Até então isso era privilégio do clero. Foi uma verdadeira revolução no cristianismo. Lutero baseava-se em “5 pilares” que são usados até hoje para definir a fé protestante: “Somente a Escritura, somente a Fé, somente a Graça, somente Cristo e Glória somente a Deus”.
Os ideais se espalharam pela Europa e encontraram eco em vários movimentos similares. Essa é a raiz das igrejas evangélicas que se espalham por todo o mundo até hoje. Embora pouco divulgada pelas igrejas no Brasil, o fato é que a Reforma ajudou a mudar a história.
Prestes a completar cinco séculos, a Reforma continua inspirando milhares de cristãos no mundo inteiro. Em 2012, foi lançada pelo evangélico Orley José da Silva a campanha “500 anos de Reforma, 100 milhões de evangélicos no Brasil”.
Segundo Orley, o número de evangélicos no Brasil hoje gira em torno de 50 milhões. Sua proposta é que cada crente do país se esforce para “evangelizar uma pessoa não cristã, levá-la a decidir-se por Cristo e a discipular” até 31 de outubro de 2017. Assim, no aniversário de 500 anos da Reforma teremos 100 milhões de evangélicos no Brasil. “É claro que somente isto não basta, precisamos urgentemente de um reavivamento bíblico, que reflita profundamente na espiritualidade, na moral e na ética, primeiro da igreja e depois da sociedade”, esclarece.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Cantor evangélico é morto a pedradas em Pernambuco

Cantor evangélico é morto a pedradas em PernambucoCantor evangélico é morto a pedradas em Pernambuco
A polícia de Capibaribe, Pernambuco, está investigando a morte do cantor gospel Amós Antônio dos Santos, 32 anos, que foi encontrado morto nesta segunda-feira (27) em um terreno baldio.
O corpo de Amós apresenta sinais de apedrejamento e as autoridades acreditam que ele tenha sido morto durante o final de semana.
O cantor morava em Recife e foi para a cidade se apresentar em uma igreja na quinta-feira (23), segundo dados da Polícia Civil que tenta encontrar o que teria ocasionado a morte do jovem.
Amós estava de carro e seu veículo foi encontrado estacionado em uma garagem próxima ao local onde o corpo foi achado.
O corpo foi levado ao Instituto de Médico Legal (IML) do Recife, a polícia não passou muitas informações sobre o caso para não prejudicar as investigações, sabe-se que parentes e amigos serão chamados para prestar depoimentos. Com informações G1 e R7

terça-feira, 28 de outubro de 2014

“Escola do terror” ensina crianças a atirar, torturar e decapitar

“Escola do terror” ensina crianças a atirar, torturar e decapitar"Escola do terror" ensina crianças a atirar, torturar e decapitar
Enquanto a organização terrorista conhecida como Estado Islâmico ainda domina partes da Síria e do Iraque, uma nova geração cresce à sombra do fundamentalismo islâmico.
Uma denúncia da mídia na última semana assustou até mesmo especialistas em terrorismo. Vídeos vem sendo publicados, mostrando com orgulho o que já é chamado de “escola do terror”.
Além de estudar o Alcorão, crianças a partir dos quatro anos já atiram com rifles AK-47, aprendem a torturar e decapitar os “inimigos”. Para os meninos que crescem em acampamentos do Estado Islâmico, a palavra educação tem um sentido muito diferente do resto do mundo.
Seu nome oficial é “Escola da Jihad”, onde os filhos dos combatentes vão se acostumando desde muito cedo com os horrores da guerra. Em alguns deles, soldados ensinam táticas militares e fazem as crianças repetir palavras de ódio contra cristãos e judeus. Para os especialistas, o material divulgado na internet é uma tentativa de mostrar a “utopia” do mundo sob o governo do califado.
O relatório do Conselho de Direitos Humanos da ONU classifica como “crime de guerra” – o recrutamento e a utilização militar de crianças com menos de 15 anos. Alheio a isso, desde 29 de junho, quando o califado foi anunciado ao mundo, diferentes informações provam que um número crescente de voluntários se juntando à causa do EI.
Muitos deles são ocidentais atraídos pelas promessas de viver em um local onde a sharia (lei islâmica) é vivida à risca. Com os bombardeios da coalizão liderada pelos Estados Unidos, a aposta é no uso dos recém-formados na escola jihadista, segundo o próprio Estado Islâmico anunciou em uma de suas contas nas redes sociais.
As Nações Unidas já constataram que a ISIS “estabeleceu campos de treinamento para recrutar crianças para a luta armada sob o pretexto de educação religiosa”. Nos acampamentos, as crianças recrutadas treinam ao lado dos adultos e protagonizam cenas que são um choque para o restante do mundo. Há informações de que elas podem ser usadas em missões suicidas, carregando bombas em seus corpos.
À rede CNN, ativistas de direitos humanos condenaram os vídeos, afirmando serem “profundamente perturbadores”. Kristyan Bento, gerente da campanha da Anistia Internacional para a Síria no Reino Unido, disse: “Esses vídeos supostamente ‘inspiradores’ são realmente novas evidências de que o EI está cruelmente roubando a infância de um número incontável de jovens, fazendo lavagem cerebral e expondo-os a perigos terríveis”.
O assunto foi destaque na imprensa dos EUA e Reino Unido. Os vídeos surgem cerca de dois meses depois das fotos de crianças usando armas e carregando cabeças de “infiéis”. Contudo, dessa vez ficou provado que é uma operação planejada e constante, não uma situação esporádica.
A existência de escolas de terror similares na Palestina já foi denunciada, onde da mesma forma crianças muçulmanas aprendem a odiar judeus e cristãos. Com informações de Independent e Prophecy News
Assista:

Cuba autoriza construção de primeira igreja católica em 55 anos

Cuba autoriza construção de primeira igreja católica em 55 anosCuba autoriza construção de primeira igreja em 55 anos
A Igreja Católica Cubana manteve relações tensas com o governo desde a revolução de 1959 que levou o país para a ditadura comunista liderada por Fidel Castro que tomou o poder e passou a governar o país.
Durante esses 55 anos a Igreja Católica não pode abrir novos templos no país, a liberdade religiosa em Cuba é vigiada pelo governo, atitude que nunca agradou o Vaticano e outras instituições religiosas, principalmente cristãs, que enfrentam grande pressão do governo.
Agora a publicação católica “Christian Life” comunica que Igreja Católica recebeu autorização para a construção de uma igreja na cidade de Sandino, localizada na província de Pinar del Rio, ao oeste do país, onde 200 pessoas poderão cultuar a Deus.
A construção da igreja será financiada por doações de católicos que moram em Tampa, na Flórida, e pode significar uma melhora na relação entre o Vaticano e o governo comunista de Cuba.
Durante todos esses anos dois padres estiveram visitando a ilha, João Paulo II e Bento XVI. A visita do antecessor de Francisco teve grandes efeitos, um deles foi a declaração da Sexta-Feira Santa como feriado. Já a visita de João Paulo II fez com que Fidel Castro, isso em 1997, aceitasse incluir o Natal entre os feriados nacionais. Com informações G1

Derrota de Crivella expõe visão de evangélicos em relação à Igreja Universal

Rio: derrota de Crivella expõe visão de evangélicos em relação à Igreja Universal, diz jornalista
A eleição de Luiz Fernando Pezão (PMDB) para mais um mandato à frente do Palácio da Guanabara derrotando o senador e bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, Marcelo Crivella (PRB) teria exposto a divisão no meio evangélico em relação à denominação fundada por Edir Macedo.
Uma reportagem da revista Época destaca que a Universal é “tida como isolacionista”, e receb críticas de adversários por “promover eventos sozinha, em vez de participar de grandes momentos comunitários evangélicos, como a Marcha para Jesus”.
Entre outros pontos destacados na matéria que explicitariam a visão das demais denominações evangélicas contra a Universal estão ligados à estratégia agressiva da denominação em relação à sua expansão: “Há críticas também ao histórico da Universal de comprar imóveis, assim como horários de TV e rádio, para desalojar pastores de outras denominações”, escreveu o jornalistaRaphael Gomide.
Além de apoios mais explícitos a Pezão, como os do pastor Silas Malafaia e da cantora Aline Barros – que gravaram mensagens para a campanha eleitoral do candidato do PMDB – outros líderes evangélicos também se posicionaram contra Crivella.
Abner Ferreira, presidente da Convenção Estadual das Assembleias de Deus e um dos principais líderes do Ministério de Madureira; e Valdemiro Santiago, apóstolo da Igreja Mundial do Poder de Deus, também apoiaram Pezão.
“Eles [Universal] sempre foram afastados, extremamente exclusivistas. Nunca participaram de eventos comunitários, não trabalham em conjunto. Só nesta época de eleição é que querem. Por favor, aí não! Se é para caminhar juntos, vamos caminhar do começo ao fim! [...] Eles criam essa barreira, absolutamente desnecessária. Há espaço para todos fazerem seu trabalho”, criticou o pastor Abner Ferreira.
Silas Malafaia seguiu a mesma linha de pensamento e afirmou a postura da Universal dificulta a aproximação: “Eles são igreja evangélica na hora da eleição. Fora [desse período], são isolados. Não participam de nada. Na hora do voto, é ‘irmão’? Todas as lideranças que conheço apoiam Pezão. Abner, Marcus Gregório [da Baixada Fluminense], eu, Valdemiro… Não conheço nenhum líder de expressão no Estado do Rio de Janeiro que apoie Crivella”, concluiu o pastor.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Dilma diz que Jean Wyllys será “representante da juventude brasileira”

Dilma diz que Jean Wyllys será “representante da juventude brasileira”; Malafaia reage: “Evangélicos, acordem!”
A presidente Dilma Rousseff (PT) anunciou na última semana que Jean Wyllys (PSOL) será o “representante da juventude brasileira” no seu governo.
O deputado federal e ativista gay, que foi opositor da presidente e teceu diversas críticas a ela por recuar diante dos protestos da bancada evangélica e não acatar parte das exigências da militância homossexual, agora virou seu aliado.
A justificativa usada por Dilma Rousseff para indicar Wyllys para a função foi repetir o discurso dos ativistas gays: “Tenho o compromisso de lutar contra a discriminação da juventude negra neste país, contra os autos de resistência, contra esse morticínio, assim como eu tenho compromisso de lutar contra violência que motiva a mulher, assim como contra a homofobia, temos de criminalizar a homofobia”, disse a presidente, segundo informações do portal Terra.
Durante a reta final dos programas da propaganda eleitoral gratuita, Dilma mostrou imagens de um discurso do ex-presidente Lula, e ela aparece acompanhada de Jean Wyllys e de uma mãe de santo.
O pastor Silas Malafaia comentou o episódio e afirmou que a união política de Dilma e Wyllys é simbólica: “Evangélicos acordem! Dilma escolheu o deputado ativista gay Jean Wyllys para representar a juventude. É o mesmo que luta contra nossos princípios”, criticou o pastor.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Evangélica e virgem, Miss Brasil luta contra preconceito

Evangélica e virgem, Miss Brasil luta contra preconceitoEvangélica e virgem, Miss Brasil luta contra preconceito
Aos 20 anos, a cearense Melissa Gurgel rompeu uma grande barreira dia 27 de setembro, quando foi eleita Miss Brasil 2014, na 60ª edição do concurso. No momento do anúncio, a reação de parte do público e das outras candidatas revelou que ela sofria preconceito.
Segundo Melissa, primeiramente por causa de sua altura. Com apenas 1,68m, era a candidata mais baixa. Sua eleição foi uma quebra nos tradicionais padrões estéticos do concurso. Afirma ainda que o fato de ser nordestina também gerou críticas.  Outro fato que chamou atenção da mídia é que a jovem miss revelou que é virgem
Evangélica, ela conta que aos 12 anos de idade fez um compromisso de manter a pureza sexual até o casamento num encontro do Atitude 434, iniciativa da Igreja Batista Central de Fortaleza, que é conhecido pelo uso de uma aliança de prata. O nome é uma referência ao versículo de 1 Tessalonicenses 4:3-4.
“Acredito que isso seja uma escolha muito pessoal, por acreditar em Deus e nos princípios bíblicos. Trata-se de um sentimento maior que existe dentro de mim. Estou bem assim. Acredito no amor, quero ter uma família comprometida. Mas é importante ressaltar que sou virgem e sou contra o preconceito. Contra qualquer tipo de preconceito, racial, religioso, cultural. Cada um deve viver sua vida de acordo com aquilo que acredita”, disse ela em entrevista ao jornal Zero Hora.
Ressaltou que a fé é muito importante para sua vida. Quando recebeu a faixa de miss, declarou: “Estou muito feliz com o resultado. Cada passo que eu dei foi graças a Deus”. No mesmo dia, postou em sua conta no Twitter: “A emoção é muito grande e eu tinha muita fé de que iria chegar até aqui, mas não deixou de ser uma surpresa. Deus me guiou e me deu muita atitude na hora do desfile. Graças a ele eu conquistei essa coroa”.
Em 18 de janeiro de 2015, Melissa irá representar o Brasil no concurso Miss Universo, na cidade de Doral, Flórida.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Lindinalva Silva, irmã de Lula, pede que eleitores votem em Aécio: “O melhor para o Brasil”; Assista

Lindinalva Silva, irmã de Lula, pede que eleitores votem em Aécio: “O melhor para o Brasil”; Assista
Um vídeo que circula nas redes sociais com um depoimento de Lindinalva Silva, irmã do ex-presidente Lula (PT), pedindo aos eleitores para votarem em Aécio Neves (PSDB) causou furor entre os internautas.
No depoimento, Lindinalva afirma que tomou a iniciativa de pedir voto para o adversário de Dilma Rousseff “por que é o melhor para o Brasil neste momento”.
Portando um documento com o que seriam projetos de Dilma Rousseff (PT) “muito importantes”, Lindinalva dá seu depoimento contra a candidata à reeleição sem rodeios.
“Oi gente, estou pedindo para vocês terem consciência. No dia 26 de outubro votem Aécio Neves”, diz Lindinalva Silva, que disse estar pensando “no Brasil todo, principalmente nos cristãos” para tomar uma posição de oposição à candidata apoiada por seu irmão.
O documento apresentado no vídeo é ilegível, e portanto, não se pode saber o teor do texto dos supostos projetos de Dilma Rousseff.
Assista:

Polêmica

Lindinalva Silva é meia-irmã do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva e já causou polêmicas outras vezes por apoiar candidatos do PSDB.
De acordo com o jornalista Ricardo Setti, da revista Veja, já foi candidata a vereadora em Cuiabá (MT) pelo PTB – partido que denunciou o mensalão – e diz não se importar com o que pensam os petistas: “O PT, para mim, é só o Lula. Fora ele, não tenho proximidade com a legenda. Agora estou no PTB porque o atual prefeito da cidade é do partido e me chamou. Sobre o mensalão, não sei muita coisa. Só sei que meu irmão não tem nada com isso, não”, comentou Lindinalva.
Na última vez que apoiou um candidato tucano em sua cidade, Lindinalva diz ter aprendido a lidar com o espanto das pessoas: “O pessoal até comentava que até estranho eu ajudar o PSDB. Mas é que o PT não me procurou antes e eu não achei que estivesse fazendo nada de errado”, concluiu.

Entre evangélicos, apenas Manoel Ferreira apoia Dilma; Aécio recebe apoio de Robson Rodovalho e Renê Terra Nova


Entre evangélicos, apenas Manoel Ferreira apoia Dilma; Aécio recebe apoio de Robson Rodovalho e Renê Terra Nova

Com a proximidade do fim da campanha eleitoral, os apoios políticos de lideranças evangélicas aos dois candidatos a presidente da República vão sendo definidos e o atual cenário é que apenas o bispo Manoel Ferreira, da Assembleia de Deus em Madureira, manifestou simpatia a Dilma Rousseff (PT).
Aécio Neves (PSDB) tem recebido apoio de líderes evangélicos desde a definição de que ele seria o adversário de Dilma no segundo turno. No último domingo, 12 de outubro, Marina Silva (PSB), terceira colocada nas eleições, manifestou seu apoio formal à candidatura do senador mineiro.
No primeiro turno, Marina se tornou favorita a receber os apoios dos evangélicos caso chegasse ao segundo turno. Como a ex-senadora foi vencida por Aécio nas urnas, os pastores Silas Malafaia, Marco Feliciano (PSC), Valnice Milhomens e Augustus Nicodemus Lopes manifestaram seus votos no tucano.
O pastor Everaldo Pereira (PSC), que disputou o primeiro turno e ficou em quinto lugar, também declarou seu apoio a Aécio Neves, juntamente com outros partidos que eram concorrentes antes.
Agora, outros líderes evangélicos têm manifestado seu apoio a Aécio, como o bispo Robson Rodovalho, da igreja Sara Nossa Terra, e o apóstolo Renê Terra Nova, do Ministério Internacional da Restauração (MIR), segundo informações do jornal Estado de Minas.
Já Dilma Rousseff conta com o apoio declarado de Manoel Ferreira, e nos bastidores, comenta-se que o bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus, também seja favorável à reeleição da presidente.
No entanto, Macedo ainda não falou abertamente sobre seu voto e chegou a publicar um artigo escrito por uma colaboradora com severas críticas ao atual governo e orientando os fiéis a escolherem o voto com cautela, levando em consideração as propostas para o país.

Debate na Band

Ontem a Band realizou o primeiro debate do segundo turno, e os candidatos Dilma e Aécio estiveram frente a frente, com liberdade de escolha dos temas a serem discutidos.
O formato do programa permitia que Dilma e Aécio escolhessem os temas que queriam perguntar um ao outro, sem intervenção do mediador, o jornalista Ricardo Boechat.
A troca de farpas e críticas entre os dois foi intensa e houve momentos de tensão, porém o debate de ideias a serem implementadas nos próximos anos ficou prejudicado por conta dos ataques de ambos os lados.
A Band registrou média de 11 pontos de audiência no Ibope, contra 14 da Globo. De acordo com o jornalista Lauro Jardim, o número de espectadores do debate foi o dobro do registrado no primeiro turno.

Aécio diz a líderes evangélicos que tem “compromisso com a moralidade” e combaterá a corrupção


Aécio diz a líderes evangélicos que tem “compromisso com a moralidade” e combaterá a corrupção

O candidato do PSDB à presidência, Aécio Neves, participou de um encontro com lideranças evangélicas em São Paulo e afirmou que, caso seja eleito, seu governo será baseado no combate à corrupção.
Acompanhado do governador reeleito do estado, Geraldo Alckmin (PSDB) e do senador eleito José Serra (PSDB), Aécio se comprometeu com a criação de parcerias com as igrejas evangélicas emprojetos sociais.
O evento contou com a presença de aproximadamente 300 representantes das igrejas Renascer em Cristo, Universal do Reino de Deus, Ministério Internacional da Restauração e Assembleia de Deus.
A cerimônia foi conduzida pelo pastor Everaldo Pereira (PSC), quarto colocado no primeiro turno das eleições presidenciais e apoiador declarado da campanha do tucano contra a reeleição de Dilma Rousseff (PT).
Aécio Neves afirmou que tem “compromisso com a moralidade” e que seu objetivo é “governar para todos”, priorizando a educação.
Entre os presentes estava o pastor Marco Feliciano (PSC), líder da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento e deputado federal reeleito com quase 400 mil votos. Representantes da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) também compareceram ao encontro com o presidenciável.
À Folha de S. Paulo, o pastor Everaldo Pereira afirmou que Aécio Neves “foi bem recebido” pelos líderes evangélicos que estiveram presentes no evento e “participou das orações” realizadas durante o encontro.

Pesquisas

Os institutos de pesquisa Ibope e Datafolha divulgaram novos levantamentos da intenção de voto dos eleitores neste segundo turno, e Aécio Neves permanece numericamente à frente de Dilma Rousseff, mas o cenário caracteriza empate técnico devido à margem de erro. Os índices das pesquisas destes dois institutos diferem significativamente dos cenários mostrados pelo Instituto Sensus e o Paraná Pesquisas.
Segundo o Ibope, Aécio teria 45% das intenções de voto, contra 43% de Dilma. Votos brancos e nulos somam 7%, e os indecisos, 5%. Se levado em conta apenas as intenções de votos válidos, Aécio teria 51%, contra 49% da candidata à reeleição.
O Datafolha mostrou um cenário semelhante ao do Ibope, com diferença que os votos brancos e nulos neste levantamento somam 6%, e os indecisos os mesmos 6%. Considerando apenas os votos válidos, os candidatos repetiram o desempenho apresentado pelo Ibope: Aécio 51%, contra 49% de Dilma. 

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

“Derretimento” de Marina Silva começou nos tweets do pastor Silas Malafaia, dizem analistas

“Derretimento” de Marina Silva começou nos tweets do pastor Silas Malafaia, dizem analistas
A derrota de Marina Silva (PSB), que ficou fora do segundo turno das eleições presidenciais após uma queda vertiginosa nas pesquisas de intenção de voto nas últimas semanas que antecederam o pleito, foi analisada pela imprensa, que apontou os fatores principais do declínio.
“Marina desabou na pior hora: quando as chances de recuperação são mínimas, dado o limite do tempo. É como levar um gol no finalzinho do jogo”, opinou o jornalista Paulo Nogueira, do Diário do Centro do Mundo.
Nogueira entende que o começo da derrocada de Marina Silva aconteceu justamente através do Twitter do pastor Silas Malafaia contra o casamento gay e a adoção de crianças por casais homoafetivos, itens previstos numa versão supostamente não revisada do programa de governo de Marina.
“Longe do plano divino, Marina começou a cair quando piscou diante de quatro tuítes de Malafaia. Malafaia manifestou revolta contra os termos do programa de Marina em relação à comunidade LGBT. Ameaçou tirar o apoio. Rapidamente, com uma explicação que não convenceu ninguém, o programa de Marina foi alterado para agradar Malafaia. Foi um gesto fatal. Ali Marina mostrou um traço de personalidade que seria explorado com sucesso tanto por Dilma quanto por Aécio: a instabilidade, a hesitação, a dificuldade em lidar com pressão. O eleitor percebeu”, escreveuNogueira.
O desgaste da campanha, que faz o candidato percorrer o país diversas vezes em longos voos, também afetaram Marina Silva, tirando-lhe o gás necessário, segundo o jornalista: “Nos dois últimos debates, Marina estava claramente exaurida mental e fisicamente. Parecia torcer que para que tudo acabasse o mais rápido possível”.
BBC publicou a análise da jornalista Ruth Costas, que dentre outros fatores, apontou o pouco tempo na TV, a imagem frágil da candidata e os ataques dos adversários como pontos principais da derrota.
“No primeiro turno, a candidata teve dois minutos, Aécio, quatro e Dilma, 11 [...] Os esforços do PT e PSDB para pintar a candidata como uma líder política frágil, incapaz de lidar com as dificuldades e críticas enfrentadas por quem está no poder, também parecem ter surtido efeito. Contribuiu para reforçar essa imagem o fato de Marina ter chorado ao comentar sobre as críticas do ex-presidente Lula a uma repórter do jornal Folha de S. Paulo”, escreveu Costas.

sábado, 4 de outubro de 2014

Se Marina Silva for eleita, será a terceira vez que o Brasil terá um evangélico na presidência; Confira

Se Marina Silva for eleita, será a terceira vez que o Brasil terá um evangélico na presidência; Confira
Se Marina Silva (PSB) vencer as eleições presidenciais no segundo turno, ela será a primeira mulher negra a governar o Brasil, mas não será a primeira vez que um evangélico chega ao cargo.
No século passado, outros dois presidentes de confissão protestante governaram o país em períodos distintos, antes da atual fase de democracia.
João Fernandes Campos Café Filho, advogado, membro da Primeira Igreja Presbiteriana de Natal (RN), foi presidente do Brasil por pouco mais de um ano. Café Filho, como era popularmente conhecido, era filiado ao Partido Social Progressista (PSP) e tomou posse no dia 24 de agosto de 1954, substituindo Getúlio Vargas, e foi deposto em 08 de novembro de 1955.
Após a deposição, Café Filho foi sucedido interinamente por Nereu Ramos, que ocupou o cargo até a posse de Juscelino Kubitschek.
O segundo evangélico na presidência do Brasil foi Ernesto Beckmann Geisel, militar, membro da Igreja Luterana, filiado ao partido Aliança Renovadora Nacional (Arena) e alçado ao poder pela ditadura militar.
O mandato de Geisel , que durou de 15 de março de 1974 a 15 de março de 1979, foi marcado pela sanção da Lei do Divórcio, e uma mudança na conduta do governo proporcionou uma pequena diminuição da censura, além de um pequeno aumento no diálogo político, o que culminou anos depois com a redemocratização do país.

Fase da nova democracia

A saída de Geisel da presidência aconteceu após a eleição de João Figueiredo, do Partido Democrático Social (PDS), que governou o país até 1985, quando Tancredo Neves, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) foi eleito.
Antes de sua posse, Tancredo – que era avô de Aécio Neves (PSDB), atual candidato tucano à presidência – faleceu, o que levou seu vice, José Sarney (PMDB) ao cargo entre 15 de março de 1985 a 15 de março de 1990.
Sarney foi substituído por Fernando Collor, que era filiado ao Partido da Reconstrução Nacional (PRN) e foi o primeiro presidente brasileiro eleito por voto direto do povo, derrotando Luís Inácio Lula da Silva (PT) nas urnas e tendo ocupado o cargo entre 15 de março de 1990 e 29 de dezembro de 1992, quando foi deposto por processo de impeachment.
Collor foi substituído pelo vice, Itamar Franco (PRN), que ocupou o cargo durante o restante do mandato e nomeou Fernando Henrique Cardoso como ministro da Fazenda, permitindo a implantação do Plano Real e o controle da inflação.
Fernando Henrique (PSDB) tomou posse no dia 1º de janeiro de 1995, foi reeleito quatro anos depois e governou o país até 1º de janeiro de 2003, quando transmitiu o cargo para Lula, que se manteve na presidência até 1º de janeiro de 2011, para dar posse a Dilma Rousseff (PT), primeira presidente mulher da história do Brasil.